Atlético-MG vai à final da Libertadores nos pênaltis Reviewed by Momizat on . [caption id="attachment_1560" align="alignleft" width="300"] Imagem: Divulgação[/caption] O Galo Forte conseguiu uma inédita vaga na final da Libertadores nesta [caption id="attachment_1560" align="alignleft" width="300"] Imagem: Divulgação[/caption] O Galo Forte conseguiu uma inédita vaga na final da Libertadores nesta Rating:
Você está aqui:Home » Destaques » Atlético-MG vai à final da Libertadores nos pênaltis

Atlético-MG vai à final da Libertadores nos pênaltis

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

O Galo Forte conseguiu uma inédita vaga na final da Libertadores nesta quarta-feira (11), quando bateu o Newell’s Old Boys nos pênaltis por 3 a 2 no estádio Independência. No tempo normal, o time brasileiro devolveu a derrota do jogo de ida e venceu por 2 a 0, forçando a decisão nos pênaltis. Victor defendeu a cobrança que classificou o time de Cuca.

O Galo começou a partida com tudo. Logo aos dois minutos, Diego Tardelli e Ronaldinho Gaúcho trocam passem e encontram Bernard. O jovem craque atleticano bateu forte de esquerda e abriu o placar para os brasileiros.

O time de Cuca tentou ampliar e destruir a vantagem argentina ainda no início do jogo e teve duas grandes oportunidades para isso. Aos seis, Jô parou no goleiro Guzmán. No minuto seguinte foi a vez de Marcos Rocha, que mandou para fora.

Ainda que seguisse com ritmo forte, o Galo não conseguiu manter a pressão do início do jogo. O Newell’s, aos poucos, foi equilibrando a situação e, se não levava perigo ao gol de Victor, também era pouco exigido na defesa.

Os brasileiros só conseguiram levar perigo novamente aos 34, quando Bernard chutou e parou no goleiro. No minuto seguinte, em ataque de Diego Tardelli, Guzmán foi atingido no rosto e a partida ficou oito minutos parada. No recomeço, o Atlético teve uma última chance, com Josué, mas o goleiro defendeu.

A segunda etapa não foi tão boa quanto a primeira para o time mineiro. Afobada, a equipe não conseguia armar as jogadas e era facilmente desarmado pelo Newell’s.

Deste jeito, a partida seguiu até os 31 minutos, quando alguns refletores do estádio Independência se apagaram. O jogo ficou 11 minutos parado e Cuca aproveitou para passar instruções aos seus jogadores.

Com a partida reiniciada, o panorama parecia não ter mudado muito. Entretanto, aos 46 minutos, Cuca resolveu colocar Alecsandro e Guilherme. Quatro minutos depois, o segundo marcou.

A defesa do Newell’s Old Boys falhou na hora de cortar a bola e ela sobrou para Guilherme, na entrada da área. O atacante bateu forte e acertou o canto esquerdo de Guzmán, para delírio da torcida no Independência. Com o resultado, a decisão da vaga foi para os pênaltis.

Nas cobranças, Alecsandro e Guilherme marcaram para o Galo, mas Jô e Richarlyson perderam. O Newell’s Old Boys também perdeu duas cobranças, o que deixou a decisão para a última cobrança. Ronaldinho Gaúcho marcou e Victor defendeu o pênalti de Maxi Rodríguez, colocando o time mineiro na final da Libertadores.

ATLÉTICO-MG 2 (3) x 0 (2) NEWELL’S OLD BOYS
ESTÁDIO: Independência, Belo Horizonte (MG)
ÁRBITRO: Roberto Silvera (URU)

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre (Luan), Josué, Ronaldinho Gaúcho e Bernard (Guilherme); Diego Tardelli (Alecsandro) e Jô. Técnico: Cuca.

NEWELL’S OLD BOYS: Nahuel Guzmán; Marcos Cáceres (Horacio Orzán), Santiago Vergini, Heinze (Víctor López) e Milton Casco; Diego Mateo, Lucas Bernardi, Rinaldo Cruzado e Maxi Rodríguez; Víctor Figueroa (Martín Tonso) e Ignacio Scocco. Técnico: Gerardo Martino.

GOLS: Bernard (02min – 1ºt), Guilherme (46min – 2ºt) (ATLÉTICO-MG)

CARTÕES AMARELOS: Pierre, Bernard (ATLÉTICO-MG); Marcos Cáceres, Milton Casco, Martín Tonso (NEWELL’S OLD BOYS)

© 2013-2016 - Arquibancada Online - Proibida a Reprodução Total ou Parcial sem Divulgar a Fonte.