Penapolense vence nos pênaltis e elimina o São Paulo Reviewed by Momizat on . [caption id="attachment_3423" align="alignleft" width="300"] Imagem: Junior Lago / UOL[/caption] Um ano depois, o Penapolense deu o troco e eliminou o São Paulo [caption id="attachment_3423" align="alignleft" width="300"] Imagem: Junior Lago / UOL[/caption] Um ano depois, o Penapolense deu o troco e eliminou o São Paulo Rating: 0
Você está aqui:Home » Campeonato Paulista » Penapolense vence nos pênaltis e elimina o São Paulo

Penapolense vence nos pênaltis e elimina o São Paulo

Imagem: Junior Lago / UOL

Imagem: Junior Lago / UOL

Um ano depois, o Penapolense deu o troco e eliminou o São Paulo do Campeonato Paulista na noite desta quarta-feira. Sem se intimidar diante do favorito, no Morumbi, o time de Penápolis venceu o favorito nos pênaltis por 5 a 4, após empate sem gols no tempo normal, e avançou às semifinais do Estadual. A classificação foi garantida com a penalidade desperdiçada por Rodrigo Caio no desempate.

O triunfo teve gosto de vingança para o time do interior, já que em 2013 o São Paulo havia eliminado o Penapolense justamente nas quartas de final, e no mesmo Morumbi, pelo tímido placar de 1 a 0. O gol fora marcado por Jailton, contra. Nesta quarta, o mesmo Jailton comemorou a vitória e a classificação do time que vem sendo uma das surpresas do campeonato.

A queda do São Paulo foi resultado de uma atuação apática durante todo o jogo, com pouca criação no meio – Ganso foi apenas discreto – e inoperância no ataque composto pelo trio Luis Fabiano, Pabon e Osvaldo. Insatisfeita, a torcida pediu “raça” durante a maior parte do confronto.

Com a eliminação, o time do técnico Muricy Ramalho se junta ao rival Corinthians, eliminado ainda na primeira fase do Paulistão. Já o Penapolense já pensa no duelo com o Santos na semifinal. A equipe do litoral avançou ao golear a Ponte Preta por 4 a 0, mais cedo nesta quarta.

A outra semifinal terá o Ituano, que eliminou o Botafogo, e o vencedor do duelo entre o Palmeiras e o Bragantino, que se enfrentam nesta quinta, fechando os confrontos das quartas de final. Os jogos das semifinais serão disputados no fim de semana, ainda sem data e horário definidos.

O JOGO – Jogando em casa e contra um rival que foi apenas o 13º colocado geral da primeira fase, o São Paulo era o franco favorito nesta noite. Mas um torcedor desavisado poderia confundir esses papeis se tivesse assistido apenas o primeiro tempo da partida, dada a maior iniciativa do Penapolense e a tibieza do time da casa.

Mesmo com maior posse de bola, o São Paulo foi ofuscado pelo Penapolense na etapa inicial porque era muito lento no meio-campo e com frequência cedia contra-ataques aos visitantes. Só não saiu atrás no placar antes do intervalo porque o time do interior finalizava pouco e falhava nas raras tentativas.

Na melhor chegada dos visitantes, Gualberto finalizou duas vezes, mas foi bloqueado pela defesa são-paulina após cobrança de escanteio. Pelo lado do time da casa, Ganso tinha dificuldade para armar, Luis Fabiano jogava isolado e até Pabon ficou devendo. Somente Osvaldo movimentava o ataque.

Para decepção da torcida são-paulina, o intervalo não trouxe mudanças para o futebol apresentado pelos anfitriões. Tímido no ataque, articulava poucas jogadas no meio. Raras eram as trocas de passe. Nem os gritos de “raça” vindos das arquibancadas empurravam os jogadores.

Os erros acabavam gerando contra-ataque para o Penapolense, que não conseguia aproveitar suas oportunidades. Os visitantes chegavam com facilidade no ataque, geralmente em velocidade, mas logo tropeçava nas próprias falhas técnicas ou na falta de confiança. Na melhor finalização, Alexandro arriscou de fora da área e exigiu grande defesa de Rogério Ceni aos 10 minutos.

O Penapolense esteve mais perto de chegar ao gol durante a maior parte do duelo. Somente a partir dos 35 minutos o time do interior desacelerou, com medo de levar um gol no fim, sem tempo hábil para reação. Com Ademilson em campo, no lugar de Pabon, o São Paulo melhorou, permanecia mais tempo no ataque, mas seguia inoperante.

Sem gols, o confronto precisou ser decidido nos pênaltis. Rogério Ceni, Luis Fabiano, Ganso e Osvaldo converteram suas cobranças. Mas Rodrigo Caio parou no goleiro Samuel na terceira finalização. Pelo lado do Penapolense, não houve erro. Guaru, Petros, Washington, Douglas e Neto mandaram para as redes e asseguraram o time na próxima fase do Paulistão.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 0 (4) x (5) 0 PENAPOLENSE

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Wellington, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Pabon (Ademilson), Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho.

PENAPOLENSE – Samuel; Rodnei, Jailton, Gualberto e Rodrigo Biro; Liel, Washington, Petros e Guaru; Douglas e Alexandro (Neto). Técnico: Narciso.

CARTÕES AMARELOS – Wellington, Alexandro, Petrus, Gualberto, Luis Fabiano, Rodrigo Biro, Maicon, Rodnei.

ÁRBITRO – Alessandro Darcie.

RENDA – R$ 408.425,00.

PÚBLICO – 16.955 pagantes.

LOCAL – Estádio do Morumbi, em São Paulo.

© 2013-2016 - Arquibancada Online - Proibida a Reprodução Total ou Parcial sem Divulgar a Fonte.