Rodinei: “O pensamento é de sempre estar nas cabeças” Reviewed by Momizat on . [caption id="attachment_5045" align="alignright" width="300"] Foto: Gilvan de Souza[/caption] Esta sexta-feira marcou reapresentação do grupo rubro-negro no Nin [caption id="attachment_5045" align="alignright" width="300"] Foto: Gilvan de Souza[/caption] Esta sexta-feira marcou reapresentação do grupo rubro-negro no Nin Rating: 0
Você está aqui:Home » Copa do Brasil » Rodinei: “O pensamento é de sempre estar nas cabeças”

Rodinei: “O pensamento é de sempre estar nas cabeças”

Rodinei: “O pensamento é de sempre estar nas cabeças”

Foto: Gilvan de Souza

Esta sexta-feira marcou reapresentação do grupo rubro-negro no Ninho do Urubu. Foi a retomada dos trabalhos no CT após a conquista da classificação para a grande final da Copa do Brasil, com a vitória por 1 a 0 no clássico diante do Botafogo. Encerradas as atividades, Rodinei concedeu entrevista coletiva na Sala de Imprensa Victorino Chermont.

 Com a chave virada para o Campeonato Brasileiro, o lateral-direito falou sobre o próximo adversário na competição nacional, o Atlético-PR. “Os enfrentamos na Libertadores e no Brasileiro. Sabemos que é muito difícil jogar em Curitiba, no estádio deles, mas agora jogaremos em casa”, disse o camisa 2. “Eles têm jogadores muito rápidos do meio para a frente. A gente precisa estudar, pesquisar. Na concentração, procuro ver vídeos do lateral-esquerdo que vou enfrentar. Vamos ver o que o professor tem para nos passar”, completou.
Acostumado a exercer sua função em campo de maneira ofensiva, Rodinei falou sobre as instruções passadas por Rueda desde a chegada do técnico colombiano ao Mais Querido. O aspecto defensivo passou a ser prioridade para os homens de lado de campo, diminuindo o número de subidas ao ataque e dando mais estabilidade para o setor.
O lateral falou sobre a mudança. “Para mim é tranquilo. Para estar no Flamengo, um jogador deve estar disposto a fazer qualquer coisa. Quando tenho que segurar mais, preciso ter qualidade para isso, assim como para atacar”, disse. “Rueda chegou com esse sistema defensivo desde que ele assumiu contra o Botafogo. Ele pediu para dar um segurada, para darmos mais valor na marcação. Na frente, tenho certeza que quem estiver lá vai corresponder para sairmos com as vitórias”, elogiou.
Rodinei também fez comentários acerca da sequência da temporada rubro-negra. “Quando se trata de jogar no Flamengo, um dos maiores clubes do Brasil, o pensamento é de sempre estar nas cabeças. Sei que a distância para o Corinthians é muito grande, mas conseguimos nos classificar para a final da Copa do Brasil, e precisamos ganhar do Atlético-PR para chegarmos no G-6 e atingirmos uma boa meta no fim”, projetou.
Em campo, enquanto os atletas que iniciaram o confronto diante do Botafogo realizaram treino regenerativo, o restante do grupo tomou parte em atividades técnica e tática no Campo 5 do Ninho do Urubu. Instruídos de perto por Reinaldo Rueda, o treinamento deu início à preparação para a partida contra o Atlético-PR, que será disputada nesse domingo (27), na Ilha do Urubu, com bola rolando a partir das 16h.
Confira outros trechos da entrevista coletiva do lateral:
 
Descanso
Não tenho idade para estar sendo poupado, gosto de jogar. Estou bem fisicamente e à disposição do professor, mas a decisão é do nosso treinador e temos que respeitar sempre.
Drible de Berrío
Como todos sabem, sou um dos caras mais brincalhões aqui. Hoje estava falando com ele que foi um drible muito bonito. A brincadeira está bem saudável. Dissemos ‘que isso, colombiano. Está bem demais!’. Graças a Deus ele deu aquele drible e conseguimos conquistar a classificação
Conca
Sobre as chances dele ser relacionado, é com o Rueda. Sou muito amigo dele, brincamos todo dia. Ele é uma referência para mim, o acompanho há muito tempo. Nosso grupo é muito de amigos, não tem muita vaidade. Tenho certeza que ele está feliz, independentemente de estar em campo. Quem é relacionado ou não, está sempre torcendo um pelo outro.
Melhorando o espanhol
Estou tendo aulas com o Cuéllar na concentração, ele tem me ajudado bastante a entender tudo o que está sendo passado.
Anotar gols decisivos
É bom demais. Marquei na final do Carioca, aquele gol que fiz na Libertadores. Começaram a falar que eu era um talismã. Para o jogador é muito gratificante.

© 2013-2016 - Arquibancada Online - Proibida a Reprodução Total ou Parcial sem Divulgar a Fonte.